Segundo o portal Correio Piauiense, Prefeitura de Pedro Laurentino distribui bananas podres de merenda em escola da zona rural

30/08/2017

Ter uma Alimentação Escolar adequada e saudável é um direito de todo estudante. O fiel cumprimento deste direito é imprescindível para o efetivo desenvolvimento das atividades discentes nas unidades escolares. A oferta de uma boa Alimentação Escolar, alinhada à Política de Segurança Alimentar e Nutricional, contribui para proporcionar ambientes satisfatórios e saudáveis, com vistas a garantir maior sucesso na aprendizagem e desenvolvimento social dos estudantes.

Porém não é isso que vêm acontecendo em Pedro Laurentino, onde pais de alunos acusam a prefeitura de Pedro Laurentino de ofertar como merenda bananas estragadas, apodrecidas em estado de liquefação. O portal Correio Piauiense já havia publicado matéria referente á denúncia de pais que diziam que a prefeitura estava ofertando para os alunos que saiam de casa às 05:00hs da manhã e retornam para casa às 13:00hs, apenas uma banana na merenda escolar.

Agravando a situação que já é estarrecedora, país de alunos voltam a denunciar, e desta vez o problema está ligado diretamente a saúde e qualidade da merenda escolar ofertada.

Por meio de uma carta escrita ao próprio punho, uma das mães fala da falta de zelo com a saúde e aprendizagem dos alunos.

A mãe inicia a carta dizendo estar contrariada com a situação na qual a prefeitura além de ter banana como prato principal e único na escola da Boa Cica, está ofertando bananas podres e perfuradas por bichos para os alunos, e que a diretora da escola foi condizente com a situação, quando tentou a todo custo obrigar as merendeiras que se negaram a fazer a vitamina devido ao ruim estado de conservação das bananas a fazê-las.

Bananas essas, que foram condenadas pela nutricionista que sugeriu que as mesmas fossem jogadas para os porcos e não ofertadas aos alunos.

Na denuncia a mãe falou da falta de compromisso do gestor com os alunos " como podemos ficar tranquilos com nossos filhos na escola, se as pessoas que foram escolhidas para estar lá não se preocupam com a saúde e muito menos com a qualidade do ensino.".

A mãe na carta, denunciou ainda uma série de irregularidades na escola, como a falta de compromisso com a profissão e má qualidade de ensino. Veja o que diz a denuncia:

"Venho em meio desta carta expressar minha indignação e tristeza com a escola da Boa Cica, com o secretário de educação Jesuíta e sua esposa, a vereadora e coordenadora Francilene.

Como se não bastasse eles colocarem uma pessoa sem experiência na direção da escola, eles agora levaram bananas podres e mordidas de bichos para nossos filhos e ainda como se não adiantasse a senhora Franciele tirou o cardápio que a nutricionista maísa havia deixado com as merendeiras.

As merendeiras vendo que aquilo não estava certo, chamaram a atual diretora e mostraram dizendo que as bananas não serviam para fazer o lanche das nossas crianças, mas a atual diretora achou aquilo que a dona Franciele estava fazendo era certo e ainda disse que as bananas davam de aproveitar. Vendo que aquilo não estava certo as merendeiras ligaram para a nutricionista maísa para ir ver, dizendo que elas não iriam fazer aquelas bananas podres.

Isso é uma vergonha, como podemos ficar tranquilos com nossos filhos na escola se as pessoas que foram escolhidas para estar na secretaria de educação e na coordenação não ligam para saúde dos nossos filhos trazendo bananas podres.

Sem contar que lá na escola tem uma professora do 4° ano da manhã que no seu horário de trabalho, na hora que é para ela estar na sala de aula ensinando nossos filhos, ela está na diretoria batendo papo com a diretora. Uma professora que passa o tempo todo na diretoria, ela não tem como ensinar alguma coisa para os nossos filhos.

Meus filhos só chegam em casa com desenhos, será que a única coisa que ela sabe ensinar é isso? Porque enquanto ela está batendo papo com a diretora, as crianças estão brigando e sem contar que a atual diretora não fala com as merendeiras, isso é uma falta de vergonha para uma direção de escola.".

Fonte: Correio Piauiense