No mundo das injustiças, mais uma batalha foi perdida pelo povo brasileiro

24/01/2018

Ao longo de sua história o povo brasileiro mais humilde está marcado por grandes perdas, principalmente a perda de direitos e oportunidades. E o pior, todas essas perdas são ocasionadas pelos próprios brasileiros, não todos, somente aquela seleta parte que se consideram intocáveis, aquela parte que glorifica o abismo entre o pobre e o rico, aquela parte que se considera a elite deste país.

Hoje, 24 de janeiro, uma quarta-feira, vimos uma típica cena brasileira, que simboliza a história desta nação. Três homens brancos, julgadores, de alta classe; a moça do café, uma trabalhadora negra e no banco dos réus, um homem nordestino, que nasceu e cresceu na pobreza, e quando chegou ao poder reconheceu e edificou uma gama de direitos para as classes desfavorecidas, que antes eram esquecidas, sendo elas os negros, nordestinos, homossexuais e etc., mas que, justamente por trabalhar pelos menos favorecidos, foi condenado sem provas.

Olhe para o alto escalão dos três poderes (Legislativa, Judiciário e Executivo) e para os mais notórios empresários do país, raramente são negros e vindos da baixa classe. E qual é o motivo? Isso é simples, desde os primórdios desta nação tais classes não tinham voz, muito menos poder. A alta classe se acha superior. Doeu para eles verem os negros, nordestinos e índios conseguirem seus diplomas, foi árduo dividirem os aviões e lugares considerados de luxo com a classe média, as patroas não suportam sentir que suas empregadas usam o mesmo perfume que elas e etc.

É lamentável perceber que o ex-presidente Lula foi condenado por questão política e social, uma vez que ele olhou para as classes que não tinham vez. Lula foi condenado por proporcionar mais educação aos pobres, mais oportunidades para a classe baixa e igualar o que estava desigual. Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado por não fazer parte dos políticos e empresários que aumentam ainda mais a distancia entre o rico e o pobre.

Isso é notável, porém, muita gente não quer enxergar. 

Um julgamento sem provas concretas, sem base jurídica, sem seguir os direitos fundamentais e a legislação vigente traz não só prejuízo àquele que foi condenado, mais sim a todos nós que, ficarmos a mercê daqueles que possuem o poder. Ficamos sem segurança. 

Já faz tempo que não temos a quem recorrer neste país, pois a alta classe já domina quase tudo e não querem que os menos favorecidos entre em ascensão para alcançar algo maior. O pobre que conseguiu chegar ao topo deste país e conseguiu governar por oito anos, trazendo benefícios para a classe baixa, foi condenado injustamente.