Ministério Público Eleitoral pede cassação dos vereadores da situação em João Costa

19/10/2018

Igreja de João Costa
Igreja de João Costa

O Ministério Público Eleitoral do Estado do Piauí, em ação eleitoral contra a coligação "de mãos dadas com o povo" e vereadores da chapa, pede a cassação do registro de todos os integrantes da coligação, inclusive dos vereadores da chapa que possuem uma cadeira na Câmara dos Vereadores de João Costa, ou seja, os vereadores da chapa do prefeito do município.

A coligação "de mãos dadas com o povo" (PV / PMDB / PPS / PSD / PSB) em João Costa é a do prefeito Gilson Castro e, através de ação de investigação judicial eleitoral que tramita na 20º Zona Eleitoral do Piauí (São João do Piauí), ajuizada pelo Ministério Público Eleitoral, e que se encontra em sede de recurso, pode ter os mandatos dos seus vereadores cassados.

A ação foi ajuizada por suspeita de realização por parte da coligação de uma candidatura "fictícia", ou seja, candidatura realizada apenas para completar o percentual mínimo de candidaturas femininas exigido pela lei eleitoral, que é de 30% de mulheres, para viabilizar a participação da referida coligação nas eleições de 2016, o que pode caracterizar algum tipo de fraude ao processo eleitoral. 

Desta maneira, o Ministério Público Eleitoral do Piauí se manifestou pela cassação do registro de todos os integrantes de candidatos a vereadores da coligação "De mãos dadas com o povo", o que se for concretizado, resultará na cassação dos vereadores eleitos e que ocupam cargos de vereadores na chapa do prefeito Gilson Castro na Câmara dos Vereadores de João Costa.

Prefeito Gilson Castro
Prefeito Gilson Castro