"Helicóptero" voava baixo no "Cerrado" e deixava o povo piauiense comendo poeira

18/04/2017 10:35

Foto: Portal AZ
Foto: Portal AZ

O Senador Piauiense, Ciro Nogueira (PP), possível candidato a reeleição para Senador da República, foi citado várias vezes por delatores da Odebrecht por receber dinheiro ilícito de caixa 2 em 2010 e 2014.

O Senador, amigo pessoal de Cláudio Melo Filho, nos repasses recebidos em 2010 atendia pelo codinome "Helicóptero", recebendo o valor de R$ 300 mil reais. Em 2014, com a alcunha de "Cerrado", os delatores afirmam ter ocorrido dois repasses, um de R$ 500 mil e outro de R$ 800 mil, um montante total de R$ 1,3 milhão. As negociações eram feitas em seu gabinete.

Ciro, na época, era considerado um aliado importante, pois era Presidente Nacional do PP (Partido Progressista).

Em 2016, o então aliado da Presidente Dilma, o Senador, de forma repentina, mudou de lado no cenário nacional e votou a favor do Impeachment de Dilma Rousseff, argumentando que o Brasil tinha que ser passado a limpo.

"Helicóptero" voava baixo no "Cerrado" e deixava o povo piauiense comendo poeira.