Entrevista exclusiva com o Deputado Federal Marcelo Castro

19/05/2017 23:35

Marcelo Castro, Deputado Federal do Piauí pelo PMDB, concedeu hoje (19), ao Blog do Adersinho, uma entrevista exclusiva, no qual o mesmo fala do apoio do PMDB ao Governador Wellington Dias, sua posição contrária a reforma da previdência e outros temas de grande repercussão no Piauí e no Brasil. 

Confira a entrevista na íntegra:

Adersinho - O deputado é um dos poucos que não teve seu nome vinculado com qualquer tipo de corrupção, na impressa nacional, como na do estado, e isso nos orgulha muito. Agora minha pergunta é com relação as eleições que se aproximam, qual é a posição do PMDB aqui no Estado do Piauí.

Deputado Marcelo Castro - Bem, o PMDB já tomou a sua posição. Fizemos um entendimento com o governador Wellington Dias e hoje nós fazemos parte do governo, compondo o governo e vamos continuar ajudando ele, indo para a eleição junto com Wellington Dias.

Adersinho- Como chegaram a essa decisão?

Deputado Marcelo Castro- Adersinho, uma das coisas que mais frisei e disse para os nossos companheiros várias vezes (nas reuniões) é que estamos fora do governo, podemos ir e podemos não ir, agora, nós estamos em 2017, o ano que vem tem eleição, ficaria muito mal para o PMDB e o partida teria muita dificuldade de explicar para a opinião pública nós irmos para o governo agora em 2017 e em 2018 sair para votar em outro candidato. Não faz sentido, isso não seria entendido pela sociedade piauiense. Por isso, alertei várias vezes, se nós vamos para o governo, é sabendo que nós vamos até o fim. Não tem história de depois "a meu dedo está doendo", não. Se tomarmos essa decisão, ela é irreversível. Vamos até o fim.

O PMDB está aliado ao PT, ao governador Wellington Dias e vamos continuar pela reeleição do governador, a não ser que surja alguma fato superveniente, inesperado, que não possa ser imaginado.

Adersinho- Queria que o deputado deixasse aqui para os que acompanham o Blog do Adersinho, sua mensagem para a região. Uma palavra de esperança para esse povo.

Deputado Marcelo Castro- Pois não Adersinho, eu quero dizer que em toda essa região de São João do Piauí estão acontecendo fatos muito importantes, como a energia solar que está ocorrendo agora em São João do Piauí, um fato bastante especial, e que acontece também na cidade vizinha, que é João Costa. Na cidade de Lagoa do Barro é a energia eólica.

São João do Piauí, graças a Deus, está se transformando em um grande polo gerador de energia para o Brasil. A energia solar, a eólica, que são as energias do século XXI, energia limpa, renovável, que não polui. É uma coisa muito importante que está acontecendo na nossa região e sem nenhuma dúvida será um grande fator de aumentar os empregos, a renda, para que as pessoas possam viver mais, viver melhor.

Adersinho- Deputado, nós sabemos que hoje o Brasil passa por um momento difícil e nós sabemos que o senhor é um deputado atuante. Então, o que fazer no Brasil nesse momento?

Deputado Marcelo Castro- Bem, vivemos em uma crise sem precedentes. O país está em uma profunda crise moral, política, econômica, por isso em quase todos os aspectos as coisas estão funcionando mal, mas, nos últimos dias, as coisas se agravaram mais, o que pensávamos que já tinha chegado ao fim do poço, pioraram, por conta da delação do presidente da JBS, gravando o Senador Aécio Neves , em gravações extremamente constrangedoras para ele e todo mundo. E a gravação do Presidente Michel Temer, que precisa urgentemente a justiça investigar isso daí, para poder separar o joio do trigo e dizer realmente o que aconteceu, realmente o que existiu, por que está trazendo uma insegurança e intranquilidade muito grande para o país, vista a bolsa de valores, que ontem teve uma grande queda. Portanto, uma saída deve ser encontrada urgentemente, pois como está não pode ficar. O país está em uma crise gravíssima, profunda e precisamos reencontrar o caminho da paz da sociedade.

Adersinho- Deputado, o senhor recebeu muitos elogios na nossa região de São João do Piauí com relação a sua posição contrária ao impeachment da Dilma, mas de repente, nos últimas dias, aconteceu um fato agravante com o senhor, que causou estranheza, pois sabemos que o deputado votou contra o impeachment , mas alguns sindicalistas não entenderam. Queria que o senhor explicasse um pouquinho.

Deputado Marcelo Castro- O que me estarreceu em tudo isso daí, além da agressividade dos manifestantes, foi a desinformação. Eu cheguei para pegar o voo no aeroporto e lá tinha vários manifestantes, a maioria com a camisa da CUT, todos sabem da vinculação da CUT com o PT, e lá me receberam com gritos de que eu era golpista. Ora, ou estão desinformados, ou estão fazendo uma agressão gratuita, porque golpistas segundo eles mesmos são aqueles deputados que votaram a favor do impeachment da presidenta Dilma e eu votei contrário ao impeachment, então, eles podem me chamar de outra coisa, me chamar de feio ou inventar outra história comigo, mas não de golpista, pois realmente isso eu não sou.

E a grande reivindicação deles é como era que eu iria votar a reforma da previdência, ora, eu já dei duas entrevistas aqui em Teresina, uma na Tv Cidade Verde e outra na Meio Norte, além das rádios, e sempre disse que como a reforma está, prejudicando o trabalhador rural, eu não votarei a favor. Eu já tinha me manifestado publicamente contrário a reforma. Então, votei contra o impeachment, sou contrário a reforma, vazou uma lista no Palácio do Planalto daqueles deputados que são resistentes a reforma, meu nome está no meio, e mesmo assim eu sou agredido? Então me causou espanto esse nível de desinformação desses sindicalistas, inclusive, estava assistindo uma entrevista em que aparece uma presidente do sindicato dos professores, chamada Odenir, que foi candidata a deputada estadual pelo PSB aqui no Piauí, e a mesma disse que um dos motivos das manifestações era que o Congresso Nacional tinha acabado com o 13º salário e com as férias dos trabalhadores, ora, esses direitos são guardados e assegurados pelo Constituição Federal, e nós não votamos nenhuma emenda a Constituição, o que votamos foi uma lei infraconstitucional e não mechemos na Constituição, e muito menos tiramos direitos dos trabalhadores.

Chamaram de golpista que votou contra o impeachment, vaiaram o deputado que é contra a reforma da previdência, então, é um nível de desinformação assustador.

Adersinho- Deputado, obrigado pela entrevista, grande abraço!

Deputado Marcelo Castro- Eu que agradeço, Adersinho, abraço! E um forte abraço para São João do Piauí e região!