Data que representa uma luta importante - 25 de novembro, Dia Latino Americano e Caribenho contra a Violência à Mulher

25/11/2017

Infelizmente o Brasil e o resto do mundo vive em um cenário assustador quando o assunto é a violência contra a mulher. E tentando mudar essa situação, dia após dia, a luta contra tal violência se intensifica cada vez mais, através de manifestações sociais, leis, projetos, políticas públicas e etc., porém, ainda existe muita batalha pela frente.

A data 25 de novembro, foi escolhida como Dia Latino Americano e Caribenho contra a Violência à Mulher para homenagear as três mulheres que foram assassinadas pela ditadura de Trujillo, na República Dominicana, em 1960. Desde 1981 o movimento feminista faz ações durante o mês de novembro para denunciar a violência sexista.

Em 1991, 23 mulheres de diferentes países que participavam do Centro de Liderança Global de Mulheres (Centers for Women's Global Leadership - CWGL) lançaram a Campanha 16 dias de ativismo. O objetivo era promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo.

As participantes escolheram um período de significativas datas históricas, marcos de luta das mulheres, indicando a abertura da Campanha no dia 25 de novembro - declarado pelo I Encontro Feminista da América Latina e Caribe (em 1981) como o Dia Internacional da Não Violência Contra as Mulheres - e finalizando no dia 10 de dezembro - Dia Internacional dos Direitos Humanos. Desse modo, a campanha vincula a denúncia e a luta pela não violência contra as mulheres à defesa dos direitos humanos. Hoje, cerca de 130 países desenvolvem esta Campanha, conclamando a sociedade e seus governos a tomarem atitude frente à violação dos direitos humanos das mulheres.

No Brasil, 1 estupro é registrado a cada 11 minutos e cerca de 70% das vítimas são crianças e adolescentes. Os dados são alarmantes. Precisamos mudar esse cenário.