O discurso desesperador de um Presidente da República

28/06/2017

Michel Temer (PMDB), atual Presidente da República Federativa do Brasil, o maior país da América do Sul, vem paulatinamente manchando sua imagem e seu caráter com suas atitudes políticas asquerosas, mostrando sua insuficiência para o cargo em que ocupa.

Paulista de 76 anos, Temer, construiu uma grande carreira jurídica, tornando-se um dos maiores advogados brasileiros, escritor de obras jurídicas citadas nas academias de Direito, porém, traz consigo, uma gama de atitudes políticas e sociais questionáveis e repugnantes.

No decorrer de seu segundo mandato como Vice-Presidente da República se tornou, de forma ilegal, Presidente, sendo para muitos, o arquiteto chefe do golpe.

Após isso, é autor de propostas legislativas equivocadas e suspeitas, suprimindo Direitos Sociais que foram conseguidos com muita luta. Além do mais, utiliza de artimanhas poderosas, ou seja, tratos políticos duvidosos, para poder aprovar tais projetos, como também, se manter no poder.

Recentemente foi envolvido em escândalos com a delação da JBS, está sendo investigado pela Polícia Federal e é, mesmo com pouco tempo no mais alto cargo brasileiro, o primeiro presidente da República a ser denunciado formalmente por ter cometido crime.

Ontem (28), seu discurso desesperado foi a gota d'agua para que o seu teatro real se desmoronasse. Tentativa aflita de se defender e continuar com seu discurso patético de que está colocando o "Brasil nos eixos", Temer passa dos limites ao atacar, de forma pessoal e com insinuações, aquele que o acusa, o Procurador Geral da República, mostrando total descontrole e instabilidade.

Temer não está apto eticamente e politicamente para ser Presidente do Brasil.